All for Joomla All for Webmasters

 

vitamina-c-encontrada-em-farmacias-nao-traz-beneficios-a-pessoas-saudaveis-vitae-editora

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A PROTESTE – Associação de Consumidores – alerta para o uso indiscriminado de suplementos de vitamina C adquiridas em farmácias. Apesar de essa vitamina ser importante na defesa do organismo contra infecções, possuir propriedades cicatrizantes e auxiliar na absorção do ferro, ensaios demonstraram que a suplementação com doses maiores ou iguais a 0,2 g por dia reduz os sintomas do resfriado comum em apenas um dia (de 12 para 11 dias) em 8% dos adultos.

O apelo de marketing que associa estes produtos ao tratamento de gripes e resfriados, e também a uma vida mais saudável, pode ser enganoso para o consumidor. Além disso, a associação afirma que, ao consumir altas doses de vitamina C, o consumidor pode sofrer com a sobrecarga nos rins, além do dinheiro jogado fora.

A ingestão adicional do nutriente só é recomendada em casos especiais, como para o caso de fumantes, atletas, pessoas expostas ao frio intenso e aquelas com saúde debilitada ou em período pós-cirúrgico. Caso contrário, a indicação é consumir vitamina C dos próprios alimentos, a partir da ingestão de frutas e verduras cruas ou com menor preparo prévio possível.

Também é válido lembrar que o uso de suplementos deve ser sempre realizado sob orientação do médico, farmacêutico ou nutricionista, que adequarão os produtos às reais necessidades de cada consumidor.

DICAS QUE OS ESPECIALISTAS DEVEM OFERECER AOS PACIENTES

1 – Descasque com cuidado: perdem-se nutrientes ao se retirar uma casca muito grossa, já que debaixo da pele há mais vitaminas do que no centro. O mesmo acontece quando se eliminam as folhas exteriores de algumas hortaliças verdes;

2 – Não deixe de molho por muito tempo: prepare verduras e frutas com a menor antecedência possível. Ao mantê-las de molho por mais de meia hora, pode ocorrer perda de vitaminas;

3 – Evite cortar ou partir: não faça isso com muita antecedência, para não deixar os alimentos expostos;

4 – Cozinhando em água: parte dos nutrientes fica na água do cozimento. Reduza as perdas colocando os alimentos em água fervendo. E aproveite o caldo para fazer sopa ou arroz;

5 -Panela de pressão é melhor: como o tempo de cozimento é menor, há maior aproveitamento nutritivo dos alimentos;

6 – No vapor é melhor ainda: aqui não há perda de sais minerais e perde-se muito pouco de vitaminas;

7 – Grelhar é boa opção: nesse tipo de preparo, as proteínas superficiais coagulam rapidamente, evitando a saída de água do alimento e, por consequência, dos nutrientes;

8- Use óleo abaixo de 175ºC: sempre que possível, evite frituras. Mas, se optar por fritar, use óleo quente até 175ºC. Não reutilize o óleo escurecido, o que indica degradação (coloque-o em uma garrafa PET e destine-o à reciclagem). Prefira óleos de amendoim, girassol, canola ou milho para cozimento ou soja para frituras;

9 – Ao triturar, consumir rápido: quando trituramos, há aumento na perda de vitaminas, porque uma grande quantidade de oxigênio entra no alimento. Por isso, consuma purês ou sucos de fruta logo após serem preparados.

10 – Praticidade do micro-ondas: a rapidez com que os alimentos são cozidos no forno de micro-ondas permite que os valores nutricionais não sejam prejudicados. E a radiação não produz efeitos nocivos sobre os alimentos.

728 × 462

Deixe seu comentário