All for Joomla All for Webmasters

medicamentos-biologicos-revolucionam-tratamentos-de-doencas-vitae-editora

Produzir medicamentos sem contra indicação e que não causem dependência é o sonho de toda a indústria farmacêutica. Os remédios vivos ou medicamentos biológicos parecem ter conseguido esse feito.

As substâncias, conseguidas por meio da alteração genética de células, ajudam no tratamento de doenças como a asma, alergias severas, entre outras. O tratamento já corresponde a mais da metade dos investimentos do sistema público de saúde e deve ser expandido em breve. Conheça esse avanço farmacológico e entenda porque ele é tão importante no tratamento de doenças crônicas.

O que são os imunobiológicos?

São medicamentos produzidos por meio da alteração genética de células, que passam a atacar determinadas doenças. Conhecidos também como remédios vivos, são 100% orgânicos e, por isso, não causam dependência ou contra indicações.

As substâncias são produzidas de acordo com a necessidade do paciente, tornando os medicamentos muito mais eficazes. São amplamente usados no tratamento de cânceres e doenças autoimunes.

Remédios biológicos no Brasil

Os biofármacos representam 51% das despesas com medicamentos no Sistema Público de Saúde (SUS) e atendem milhares de pessoas na rede pública de saúde. Infelizmente, a maioria desses medicamentos é importada, o que torna o investimento um pouco salgado aos cofres públicos.

Pela alta complexidade de sua produção, os imunobiológicos não possuem genéricos e chegam a custar até 10 mil reais por uma única ampola. Além disso, o produto não é vendido em farmácias e precisa ser injetado, já que se ingerido poderia ser destruído pelo sistema digestivo.

O próximo passo, de acordo com o secretário de Ciência e Tecnologia, Marco Sireman, é nacionalizar a tecnologia e produzir os medicamentos biológicos dentro do País. Assim, seria gerada uma economia de até 40% com esses insumos.

Ainda de acordo com o secretário, apesar dos produtos representarem uma fatia significativa do orçamento da saúde, eles trazem outros benefícios à rede pública. Principalmente porque os pacientes tratados com esses medicamentos não retornam com frequência às unidades de saúde e têm melhora importante. Isso implica em economias indiretas aos cofres públicos e torna esses medicamentos um excelente investimento.

O que esperar do futuro?

Apesar do alto preço e requisitos impostos para se encaixar no tratamento, os medicamentos biológicos são considerados grandes avanços da indústria farmacológica. Os novos medicamentos ajudam a resolver doenças crônicas e ainda evitam efeitos colaterais.

Com a promessa de nacionalização da tecnologia, logo o preço ficará mais acessível e mais pessoas terão acesso ao tratamento. Uma esperança que motiva centenas de pessoas que sofrem com artrite reumatoide, diabetes, asma, hepatite e outras doenças.

 

Fonte: Espaço Farmacêutico

 

Deixe seu comentário