All for Joomla All for Webmasters

 

POR EGLE LEONARDI

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), o mercado PET nacional cresceu 5,7% em 2016, chegando a R$ 19 bilhões em faturamento. A projeção foi feita com base nos dados coletados pela entidade entre janeiro e setembro. O mercado brasileiro é o terceiro no mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos e Reino Unido.

O segmento PET veterinário (medicamentos veterinários) corresponde a 7,8% do faturamento total do mercado brasileiro. Segundo o IBGE, o Brasil tem mais de 132 milhões de animais de estimação, distribuídos entre cães (52 milhões), aves (38 milhões), felinos (22 milhões) e peixes (18 milhões), entre outros.

De acordo com a farmacêutica e sócia fundadora da DrogaVET, Sandra Schuster, atualmente, no Brasil, existem mais cachorros de estimação do que crianças. A Pesquisa Nacional de Saúde, feita pelo IBGE, aponta que 44,3% dos domicílios do País possuem pelo menos um cachorro. 52,2 milhões de cães habitam os lares brasileiros, o que dá uma média de 1,8 cachorro por casa.

O brasileiro ama seus bichinhos

As pessoas gastam mais de R$ 18 bilhões por ano com produtos e serviços para animais de estimação (dados de 2015). O PIB do mercado PET aqui no Brasil, por exemplo, se compara ao dos eletrodomésticos da linha branca, como geladeira, fogão, máquina de lavar e forno de micro-ondas.

Por conta disso, o segmento farmacêutico está acordando para o sucesso do setor de animais. Há diferentes tipos de estabelecimentos com produtos voltados aos bichinhos. A grande maioria dos players é especializada nesse tipo de cliente. No entanto, é possível encontrar diversas redes nacionais de farmácias que também incluem gôndolas destinadas aos PETs e até medicamentos isentos de prescrição (MIPs) e prescritos!

O melhor exemplo é, de longe, a Drogaria Araujo que, por se posicionar como drugstore, oferece uma extensa linha de itens voltados aos animais. A rede não abre números de faturamento nem de participação de mercado, mas sabe-se que o peso desse segmento nos negócios é bastante significativo. Os produtos são comercializados tanto nas 160 lojas como on-line. Eles são voltados às aves, bovinos, cães, caprinos, equinos, gatos, ovinos e suínos.

Assim como acontece com os produtos voltados ao ser humano, na Araújo se encontra de tudo para os PETs: ração, medicamentos, inseticidas, brinquedos, biscoitos, artigos de higiene, petiscos, suplementos, antissépticos etc.

Lojas especializadas

A DrogaVET é um dos bons exemplos que também ilustram a pujança desse segmento. É uma franquia de manipulação exclusiva para animais, com 13 anos de existência. Há 35 lojas distribuídas por Santa Catarina, São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul, Ceará, Goiás, Paraíba, Rio de Janeiro, Bahia, Piauí e Pernambuco. A previsão é de abertura de mais 10 lojas até dezembro de 2017.

Já a rede de farmácias Fórmula Animal está no mercado há 7 anos. Possui 17 unidades em Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Santa Catarina, Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Bahia. O faturamento da rede em 2016 chegou a R$ 4 milhões e a previsão para 2017 é dobrar este valor.

Atenção farmacêutica

A DrogaVET atende cães, gatos, animais silvestres, cavalos, aves e peixes, sendo que os três últimos apenas se forem animais de esporte ou estimação.

Sandra explica que em termos de categorias de medicamentos são comercializados desde antibióticos, vermífugos, antipulgas, anti-inflamatórios, até produtos dermatológicos e de higiene e embelezamento, como xampus, lenços umedecidos, clareadores de manchas, entre outros.

“Na DrogaVET não temos produtos industrializados para serem adquiridos pelos clientes, trabalhamos somente com a manipulação de fórmulas mediante uma prescrição veterinária”, lembra a proprietária. Todas as unidades têm farmacêuticos em tempo integral na loja, que estão disponíveis para prestar atenção farmacêutica aos clientes.

Sandra lembra que esses farmacêuticos não fazem a prescrição: “Porém, quando o cliente solicita, podemos indicar produtos para manipulação desde que constem em compêndios oficiais e que não sejam produtos de tratamento como antibióticos e anti-inflamatórios”.

Parece uma farmácia humana

A Fórmula Animal atende a cães, gatos, cavalos e animais silvestres. “Trabalhamos com medicamentos alopáticos e homeopáticos. Além da indicação via oral, trabalhamos com ativos e formas farmacêuticas de uso transdérmico”, ressalta a sócia-fundadora da empresa, Renata Piazera.

Suas lojas se parecem com uma farmácia humana. Possui laboratórios exclusivos e dedicados de acordo com a sua classificação, sistemas de ar independentes, áreas de controle de qualidade, parlamentação e atendimento personalizado ao cliente. “Porém, os produtos vendidos sem prescrição médica são apenas da linha de higiene e embelezamento, e não contemplam os medicamentos”, lembra Renata.

Há farmacêutico durante todo o período, mas ele não realiza nenhum tipo de atendimento. Apenas os veterinários fazem a prescrição. O farmacêutico é responsável por checar se todos os ativos estão na dosagem certa na ordem do pedido solicitado.

O vigor desse mercado vem atraindo cada vez mais farmacêuticos que desejam empreender ou se especializar no atendimento animal. Se esse é o seu caso, parabéns…sucesso a vista!

Deixe seu comentário