All for Joomla All for Webmasters

Pharmacist using computer at pharmacy

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

POR EGLE LEONARDI

 

A Eslovênia (ou como se diz em esloveno – a língua local – Slovenija) está na Europa Central, com fronteira com a Itália, a Áustria, a Croácia e a Hungria. O país, embora seja central, tem uma perninha para o mar: uma faixa costeira de apenas 43 km banhada pelo Mar Adriático (que é ainda menor do que o litoral do Piauí, que apenas tem 66 km e é o menor do Brasil).

O país tem pouco mais de dois milhões de habitantes, com um PIB per capita de US$ 21.304 (R$ 67.300). A altitude média da Eslovênia é de 557 metros acima do nível do mar. Lá há espaço de sobra: cerca de metade do território (10.124 km²) está coberta por florestas, o que a torna o terceiro país europeu mais densamente arborizado, depois da Finlândia e da Suécia.

A principal atividade econômica eslovena é a indústria (28,1%), com uma importante produção de químicos, seguidos por componentes de automóveis, produtos metálicos, entre outros.

Quem pôde comprovar tudo isso de perto foi o ex-presidente da Anvisa, ex-presidente do CRF-SP e presidente do Conselho Cientifico do ICTQ, Dirceu Raposo de Mello, que esteve na Eslovênia para pesquisar o segmento farmacêutico do país. Confira, aqui, outras características da farmácia daquele país.

1 – Regulamentação do segmento farmacêutico

A Eslovênia possui uma agência de vigilância sanitária (que faz o papel da nossa Anvisa). Apesar de o órgão estar ligado ao Ministério da Saúde do país, a aprovação e o controle de medicamentos são de responsabilidade da Agência Europeia de Medicamentos (European Medicines Agency -EMA), responsável pela legislação que rege os medicamentos em toda a União Europeia.

2 – Perfil das lojas

Definitivamente não se encontram drugstores na Eslovênia. As farmácias só vendem medicamentos isentos de prescrição (alguns tipos bem restritos) e itens de higiene pessoal e cosméticos (estes ficam nas gôndolas). Os medicamentos prescritos são subsidiados pelo governo, e somente são dispensados mediante a receita médica. Vale ressaltar que, com a receita em mãos, pode-se ter de tudo, de medicamentos para a gripe e anticoncepcionais até antibióticos e itens controlados.

3 – Prescrição de medicamentos

Farmacêuticos não prescrevem na Eslovênia. Isso nem seria necessário, já que não faltam médicos, não falta assistência básica à saúde, não falta atendimento. Tudo é simples, prático e acessível. Os farmacêuticos prestam assistência com relação ao uso correto dos medicamentos e seu devido controle.

4 – Propriedade da farmácia

Apenas os farmacêuticos podem ter a propriedade das farmácias na Eslovênia. Não há redes de farmácias. Não existe uma conotação comercial. É um local de prestação de serviços de saúde.

5 – Presença do farmacêutico

Enquanto a farmácia estiver aberta, haverá um farmacêutico ou dois de plantão. O local não funciona sem a sua presença, por isso, sempre há profissionais que cubram todo o período de funcionamento do estabelecimento. Além disso, para ajudar o farmacêutico, há a figura do auxiliar de farmácia – um profissional que frequentou um curso técnico específico para isso. Não há balconistas ou outros colaboradores focados em venda.

6 – Remuneração do farmacêutico

O farmacêutico na Eslovênia ganha o mínimo de € 3 mil (R$ 11,5 mil). Esse salário é considerado adequado, pois não há gastos com o custeio básico, ou seja, todos os serviços públicos são oferecidos pelo Governo local com qualidade superior. Assim, todos podem usufruir esse benefício.

 

Matéria publicada no Portal do ICTQ

Deixe seu comentário